Notícias

Criciúma/SC ganha 1 Caminhada Ecológica

Já imaginou praticar exercício físico, que faz bem para o seu corpo, e ainda ajudar a cuidar do meio ambiente?

O plogging, termo em inglês para corrida e coleta de lixo, foi criado para unir essas duas ideias. Basta sair para caminhar e coletar os resíduos que você encontrar pelo caminho. Foi pensando nesta causa que o Núcleo do Meio Ambiente da ACIC – Criciúma estará realizando sua 1a Caminhada Ecológica.

O evento é Realizado pelo Núcleo do Meio Ambiente e a Associação Empresarial de Criciúma/SC – ACIC e conta com o Apoio da FNEAS, ACEAMB, e-licencie, Adubooo, Palestras Beta, Blog 2Engenheiros, Fundação do Meio Ambiente de Criciúma – FAMCRI, Prefeitura de Criciúma, Quitanda e Lisi Cakes.

Para participar do evento basta inscrever-se no seguinte link: http://e-li.me/amb e estar a partir das 10 horas do dia 24/11 (domingo) em frente ao palco do Parque das Nações (Criciúma-SC).
Contamos com você nessa caminhada em prol ao meio ambiente!

FNEAS e AEAMBS-PE promovem o X SBEA em Recife

Foi realizado em Recife (PE) o X Simpósio Brasileiro de Engenharia Ambiental e Sanitária (Sbea). O evento reuniu pesquisadores, profissionais, estudantes, instituições públicas e empresas que apresentaram e discutiram trabalhos científicos, novidades, tendências e temas relacionadas à engenharia ambiental e sanitária.

Durante a solenidade de abertura,  o Confea esteve representado pelo eng. mec. Ernando Alves de Carvalho Filho. Na ocasião também foi exibido um vídeo em que o presidente do Confea, eng. civ. Joel Krüger, comenta: “É um prazer apoiar um evento como este que reúne profissionais fundamentais para o desenvolvimento sustentável do Brasil”.O  assessor da presidência do Confea e presidente da Federação Nacional das Associações de Engenharia Ambiental (FNEAS), eng. amb. e de seg. trab. Renato Muzzolon Junior, relembrou a trajetória do saneamento no país, homenageando o pioneiro da Engenharia Sanitária e Ambiental no Brasil: Francisco Saturnino Rodrigues de Britto . “Nós – engenheiros ambientais e sanitaristas – precisamos trabalhar pela universalização do saneamento no Brasil”, declarou Muzzolon Junior.

O Sbeas tem como objetivo debater os temas da atualidade nas questões ambientais e de sustentabilidade, abrir o leque de relações e promover a interação da engenharia com toda a sociedade e com outras profissões que militam no segmento.

O Simpósio, ocorreu do dia 8 a 11 de outubro e reuniu cerca de 700 pessoas no Centro de Convenções de Pernambuco. Para saber mais sobre a programação, clique aqui.

Fonte: Fernanda Pimentel
Equipe de Comunicação do Confea

Renovação e participação feminina marcam o CNP

Uma das grandes marcas do Congresso Nacional de Profissionais (CNP) é a perspectiva do Sistema em rever os rumos das profissões, além de alinhar condutas que correspondam às diretrizes de interesse público e também ao cotidiano das atividades profissionais. Em sua 10ª edição, o CNP apresentou resultados positivos em relação à renovação de participantes e a ampliação e atuação do número de mulheres no debate. Nesta edição, dos 510 participantes, 120 eram mulheres, que estiveram atuantes sejam como delegadas sejam como integrantes da mesa diretora dos grupos.

A renovação e a participação feminina no CNP podem ser representadas pelas engenheiras Dalila da Silva (22 anos), Vanessa Tres (27 anos) e Julia Laís Ribeiro (27 anos), que no decorrer dos três dias do CNP participaram como segunda relatora, vice-secretária e delegada, respectivamente. Conheça um pouco mais sobre a trajetória dessas mulheres que com suas ideias e posicionamentos contribuíram para oxigenar os debates do CNP e do Sistema Confea/Crea, consequentemente.

Dalila da Silva.

A engenharia civil baiana Dalila da Silva, recém-formada pela faculdade Dom Luiz de Orleans e Bragança, em Ribeira do Pombal (BA), conta que ao receber o registro do Crea, em abril deste ano, teve conhecimento sobre a etapa microrregional para o 10º Congresso Estadual de Profissionais (CEP), em sua cidade e resolveu participar. Dalila explica que então ficou sabendo do que se tratava o Congresso e todas as etapas que ele percorreria, toda sua estrutura e o quão importante ele é para a vida profissional. “Saber que o Sistema Confea/Crea, durante 10 edições, vem coletando ideias, propostas de profissionais de todos os cantos do país, em prol da melhoria de todo o Brasil, através da atuação de todas as engenharias, agronomia e geociências atuantes na sociedade, foi algo incrível, pois no tempo de discente não tinha dimensão de tais procedimentos. “, comenta a engenheira, que complementa: “Seguindo os protocolos do evento, fui eleita para representar a inspetoria de Ribeira do Pombal no 10º CEP, e assim, me sentindo muito privilegiada, também fui eleita para representar o meu amado estado no Congresso Nacional.” Ela relata que foram dias de imenso aprendizado, até porque foi eleita na mesa geral do CNP como segunda relatora, oportunidade que, segundo ela, foi um divisor de águas para sua carreira profissional.
Sobre a participação de jovens e mulheres, Dalila avalia como bastante significativa e algo que tende a crescer cada vez mais. “Em um Sistema onde ao longo do tempo, e ainda hoje, é composto em sua maioria por homens, ver mulheres atuando de forma tão brilhante, inovadora, é motivo de muita alegria. Além do intercâmbio entre os profissionais mais jovens e veteranos traz ganho, o jovem renova, traz em si o que é próprio da idade, a ousadia, a busca constante pelo novo e o desejo de, assim como os mais experientes, construir sua história e contribuir com o crescimento da sociedade”, declara.

Vanessa Tres.

Vanessa Tres, que é engenheira ambiental formada pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), conta que o estágio na Associação Paranaense dos Engenheiro Ambientais (Apeam), da qual se tornaria vice-secretária depois de formada, contribuiu para aproximá-la do Crea Paraná. A partir de então, surgiu a oportunidade de participar do Congresso Estadual de Profissionais (CEP), no estado, quando se candidatou à delegada sem mandato para a etapa Nacional.
Já em Palmas,a engenheira compôs a mesa diretora como vice-secretária do Grupo Amarelo. “Nunca havia ocupado um cargo de mesa e entender como funciona o trâmite para deliberação das propostas foi uma experiência engrandecedora. Tenho curiosidade em ocupar outros papéis como participante, relatora, secretária, enfim, vivenciar sob vários lados esse debate”, disse Vanessa. Sobre a participação feminina, Três acredita que cada  vez mais mulheres buscam a engenharia e agronomia como profissão, mas é visível que são poucas que ocupam espaços de tomada de decisão e cargos representativos.  “Então, se buscamos uma sociedade mais igualitária, com os mesmos direitos e deveres entre mulheres e homens, não seria diferente em momentos decisivos como o CNP, onde nós mulheres temos tanta capacidade quanto homens na discussão de estratégias da engenharia e agronomia para o desenvolvimento nacional”.

Julia Lais.

Julia Laís Ribeiro é engenheira sanitarista formada pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), no final de 2016. Ela  relata que sua trajetória junto ao Sistema teve início com a participação em alguns eventos do Crea e, posteriormente, quando se uniram para a criação da Associação dos Engenheiros Ambientais e Sanitaristas, a qual ajudou na fundação,  realizada no dia 31 de janeiro deste ano, e da qual integra a mesa diretora como primeira secretária.
Sobre sua participação no CNP, Julia destaca o ineditismo em participar, ouvir e ser ouvida não só dentro do grupo de trabalho, mas também nos intervalos e corredores com outros colegas de trabalhos de diversas áreas e regiões do Brasil. “Consegui enxergar onde estão as dificuldades e perceber que podemos nos unir para mudar aquilo que sabemos que na prática não funciona ou prejudica a classe. “, disse. Julia acredita que a participação feminina e da juventude no Sistema ainda não é a ideal, mas reconhece que existe um movimento para melhorar a representatividade. “Fico muito feliz em poder representar, não só as mulheres como também os jovens, e mostrar que é possível que nós também façamos parte das tomadas de decisão da nossa classe.”, comemora.  Julia ressalta que participou do Grupo de Trabalho Verde em que duas das três pessoas que compunham a mesa diretora eram mulheres.

A partir desses relatos, a esperança é que em sua 11ª edição o CNP possa apresentar números ainda mais positivos sobre a participação feminina, que hoje está em 21%. Iniciativas como o Programa Mulher, lançado na 76ª Soea, tem como objetivo a elaboração de políticas atrativas para mulheres engenheiras, agrônomas e da área das geociências dentro das diversas entidades de classe e Conselhos Regionais, a fim de ampliar a participação feminina de forma protagonista em todas as esferas do sistema profissional.

Fonte: Equipe de Comunicação do Confea

Quero Ser Monitor no X SBEA

O que?

Ser monitor no X SBEA

Onde e quando?

Recife-PE, Centro de Convenções, de 8 a 11 de Outubro

Quem pode?

Acadêmicos de Cursos de Graduação e Pós- Graduação de todas as áreas do conhecimento vinculadas a Universidades e Faculdades, preferencialmente localizadas no Estado do Pernambuco

Como me inscrever?

Enviar até 30 de setembro para comissaocientificaxsbea@gmail.com os itens abaixo:

  1. Nome completo;
  2. RG (Scanner);
  3. CPF (Scanner);
  4. Instituição de Ensino (Nome, Cidade);
  5. Curso (Nome);
  6. Se tem experiência com eventos (Sim ou Não. Se sim, favor informar);
  7. Currículo (Lattes/Vitae), (Arquivo e/ou link);

Onde vejo o edital?

Como posso tirar dúvidas?

Enviar e-mail com o assunto “Monitor no X SBEA” para comissaocientificaxsbea@gmail.com

AEAESP Lança Site

A Associação dos Engenheiros Ambientais do Estado de São Paulo – AEAESP que foi fundada em 27 de agosto de 2015, com o objetivo de defender, fortalecer e ampliar a atuação dos Engenheiros (as) Ambientais, bem como estimular e promover a capacitação técnica de seus associados tem uma grande novidade.

Isso mesmo,é com orgulho que a associação em parceria com a Federação Nacional das Associações de Engenharia Ambiental e Sanitária – FNEAS lançam seu site.

objetivo do site é fornecer conteúdo especializado aos associados, notícias atuais, calendário de cursos, facilidade e praticidade para associar-se.

Por isso, acesse para conhecer, associe-se, faça parte da AEAESP, colabore com o fortalecimento da classe!

76ª Soea amplia acesso à informação e inovação

Durante quatro dias, estudantes e profissionais do Sistema Confea/Crea tiveram a oportunidade de conhecer, em Palmas (TO), projetos inovadores das áreas de sustentabilidade e urbanização. Também puderam debater questões técnicas dos setores de mineração, moradia e acessibilidade, por exemplo. Confira a avaliação dos participantes da 76ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia, que terminou nesta quinta-feira (19), e abrangeu mais de 120 atividades, entre painéis, minicursos e debates.

“Essa é a quarta Soea de que participo e foi bem produtiva. As pessoas participaram bastante das palestras, debates e painéis. No geral, a avaliação foi positiva, especialmente na adesão das pessoas às discussões propostas durante esses encontros.” – Shirlene Martins, engenheira civil (Tocantins)

“As palestras foram boas. As palestras magnas foram muito boas, destaco ‘Sustentabilidade Agroalimentar – De onde viemos e para onde vamos?’, pois de forma interessante a palestrante nos mostrou a extravagância alimentar que fazemos diariamente.” – Mércia Braga, engenheira agrônoma (Alagoas)

“Gostei dessa Soea porque as palestras foram boas, os temas eram atuais em várias modalidades da área tecnológica. Participei tanto das palestras magnas quanto dos painéis e ainda assisti a duas palestras maravilhosas de profissionais do exterior.” – Ronnie Dennis Moraes, engenheiro de segurança do trabalho (Sergipe)

“Na entrada do evento gostei da questão dos estandes para inscrição, os painéis do Contecc de modo digital é uma evolução tecnológica e evita o desperdício de papel. As palestras e reuniões das Câmaras foram mais objetivas e participativas.” – Ângelo Diego de Góes Silva, geólogo (Sergipe)

“Essa é minha segunda Soea e gostei, pois tive acesso a inúmeros assuntos como ciências, informação e inovação. Em um evento desse porte vemos a amplitude do Sistema e a importância dele para o Brasil. Participei de muitas palestras nas áreas de sustentabilidade e mobilidade urbana que vão colaborar muito com meus projetos e com meu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Durante a Soea fiz diversos vídeos indicando para que as pessoas, especialmente os estudantes, conheçam o Sistema.” – Ivaly Triches, estudante do 10º período de engenharia civil (Mato Grosso)

 

Fonte Consultada: Soea

Reunião do Coordenador do X SBEA com o Prefeito de Olinda

Nesta segunda-feira 23/09, na sede da Prefeitura do Olinda, o Prefeito Professor Lúpercio recebeu o Coordenador do 10º Simpósio Brasileiro de Engenharia Ambiental e Sanitária (X SBEA) o Eng. Ambiental Rodolfo Alves, o momento marcou a confirmação do Prefeito da Cidade na Solenidade de abertura juntamente com seu secretariado.

O Prefeito colocou a gestão a disposição para total apoio a Engenharia e demais solicitações entendendo que ou passamos a ter um olhar técnico para área ambiental ou nunca encontraremos o real desenvolvimento sustentável.

O evento que acontece de 08 à 11 de Outubro no Centro de Convenções de Pernambuco e contará com aproximadamente 1200 congressistas.

Não perca tempo

Entre no site www.sbea.eng.br

Siga nas redes sociais
@xsbea
@aeambspe

@fneas.eas

 

Assembleia Geral de Fundação da Associação dos Engenheiros Ambientais e Sanitaristas do Distrito Federal, AEAS-DF

No dia 11 de setembro, dia Nacional do Cerrado, foi a data especialmente escolhida para a realização da Assembleia Geral de Fundação da Associação dos Engenheiros Ambientais e Sanitaristas do Distrito Federal, AEAS-DF. Na ocasião estiveram presentes os estudantes de graduação e Engenheiros Ambientais e Sanitaristas, totalizando 70 participantes que além de ouvirem as falas e apresentações também manifestaram suas expectativas em relação à criação da Associação. O evento teve a honrosa participação do eng. Civil Joel Krüger, Presidente do CONFEA, que destacou:

“ o importante trabalho de associativismo que FNEAS realiza em todo o Brasil “

eng. Civil Joel Krüger, Presidente do CONFEA

Para a criação da Associação, dentre outros procedimentos, ocorreu também a eleição da Diretoria que irá exercer mandato de 3 anos, tendo como presidente o Engenheiro Ambiental Guilherme Pereira. Guilherme expôs que a tarefa principal dessa gestão é oficializar a existência da associação, buscando seu CNPJ e registro junto aos órgãos necessários, bem como ampliar os espaços de representatividade da classe de engenheiros ambientais dentro do mercado de trabalho do Distrito Federal e perante a sociedade civil.

 

A fundação da Associação marca um novo tempo de trabalho conjunto entre a entidade de classe e os profissionais de engenharia ambiental e sanitária que atuam no Distrito Federal e, segundo seu estatuto, a AEAS-DF tem por finalidade a defesa dos interesses profissionais e a interação de esforços em busca de objetivos comuns, estreitando as relações de boa convivência entre seus associados, bem como o intercâmbio cultural, científico, técnico e profissional com associações congêneres, nacionais ou estrangeiras, promovendo o progresso e o desenvolvimento humano na sua jurisdição.

Criação do Programa Mulher do Sistema Confea/Crea é aprovada em plenário

Mapeamento da atuação de mulheres em todo o Sistema Confea/Crea e Mútua, reflexões sobre a gestão do tempo da mulher e a instituição do Dia da Mulher na Engenharia são algumas das ações previstas no Programa Mulher do Sistema Confea/Crea e Mútua, aprovado por unanimidade pelo Plenário do Confea na manhã desta sexta-feira, 30/8.

O objetivo do Programa é contribuir para que o país alcance a igualdade de gênero e empodere mulheres e meninas, meta preconizada pelo Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nº 05 da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

Eng. eletric. e seg. trab. Fabyola Resende, gerente de Relacionamentos Institucionais do Confea

À frente dos trabalhos que resultaram na elaboração do Programa, a gerente de Relacionamentos Institucionais do Confea, eng. eletric. e seg. trab. Fabyola Rezende, se emocionou ao agradecer os presentes pela aprovação e apoio à iniciativa.

“O Programa foi construído por todo o Brasil, junto às entidades de classe, ao setor empresarial, a parlamentares e à sociedade civil”, disse, antes de ressaltar que o Programa tem caráter técnico, suprapartidário. “O desafio principal foi buscar o consenso entre as diversas entidades pelo Brasil”, comentou. “Foi um trabalho muito rico, emocionante, prazeroso e compensador”.

De acordo com o presidente do Confea, eng. civ. Joel Krüger, o Programa servirá para dar unicidade às ações, mas essas deverão ser efetivadas de maneira descentralizada, por meio das câmaras especializadas e das entidades não só nacionais, mas também as regionais.

“Não é um programa acabado. É dinâmico. As contribuições e boas práticas serão incorporadas ao longo das atividades. A ideia é que as ações sejam incentivadas em todos os ambientes do Sistema Confea/Crea e Mútua, sempre respeitando a autonomia de cada ente”.

Com 16 ações práticas específicas (listadas abaixo), o Programa Mulher do Sistema Confea/Crea buscará fomentar a elaboração de políticas atrativas para mulheres engenheiras, agrônomas e da área das geociências dentro das diversas entidades de classe e Conselhos Regionais, a fim de ampliar a participação feminina de forma protagonista em todas as esferas do sistema profissional.

Ações do Programa Mulher do Sistema Confea/Crea:

  1. Aprovar o dia 23 de junho como a data oficial do Sistema Confea/Crea da Mulher na Engenharia;
  2. Ampliar e fortalecer as ações parlamentares junto à Bancada Feminina da Câmara dos Deputados e Senado;
  3. Incentivar a promoção de eventos e seminários com foco na mulher enquanto profissional do Sistema Confea/Crea;
  4. Incentivar a promoção da valorização e o reconhecimento da contribuição das mulheres em todas as esferas do Sistema Confea/Crea e entidades de classe;
  5. Atuar de forma a manter o Selo Equidade de Gênero do Confea, bem como fornecer diretrizes necessárias para que os Creas, que desejarem, possam aderir ao programa Pró-Equidade de Gênero e Raça da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres da Presidência da República;
  6. Incentivar a promoção anual de Encontros Nacionais das Mulheres do Sistema Confea/Crea, que poderão ocorrer anualmente, e preferencialmente durante os eventos calendarizados do Confea, a exemplo do Encontro de Líderes do Sistema Confea/Crea e da Semana Oficial de Engenharia e Agronomia;
  7. Incentivar a promoção de encontro com as mulheres das entidades que compõe o CDEN, uma vez que será de vital importância o debate com o intuito de sensibilizar sobre a raiz do problema das entidades que não indicam mulheres para os Conselhos. Este encontro deverá ocorrer anualmente, e preferencialmente durante os eventos calendarizados do Confea, a exemplo do Encontro de Líderes do Sistema Confea/Crea e da Semana Oficial de Engenharia e Agronomia;
  8. Incentivar a promoção anual do Encontro Nacional das Coordenadoras dos Comitês Mulheres dos Creas, de modo a promover debates e fornecer diretrizes para que todos os Creas, que tenham interesse, possam implantar o Comitê Mulher em seu respectivo regional;
  9. Promover, anualmente, a manutenção do projeto “Mapeamento da participação feminina dentro do Sistema Confea/Crea”, através da atualização de dados enviados pelos Conselhos Regionais;
  10. Incentivar a promoção de palestra com o tema “Assédio Sexual e Moral” nos Creas;
  11. Incentivar a promoção de palestras sobre a “Gestão do Tempo da Mulher” nos Creas e entidades de classe;
  12. Incentivar palestras sobre Equidade de Gênero na posse de Conselheiros Federais no Confea e na posse dos Conselheiros Regionais nos Creas;
  13. Incentivar a promoção de ações de combate ao machismo na política institucional do Sistema Confea/Crea, como trabalhar entre as funcionárias e funcionários do Sistema o tema através de campanhas, promoção de diálogos e atividades sobre o tema;
  14. Incentivar a promoção de campanhas como “Confea sem Machismo”, “Engenharia sem Machismo”, “Sistema Confea/Crea contra o Feminicídio”, dentre outros, nos grandes eventos do Confea como a Soea e Encontro de Líderes e incentivar que os Creas reproduzam as campanhas em seus eventos regionais;
  15. Buscar o aumento de, no mínimo, 10% das taxas de participação das mulheres como Conselheiras nos Creas em relação a 2018;
  16. Estimular a formulação e difusão de dados e indicadores da participação da mulher dentro do Sistema Confea/Crea através do projeto “Mapeamento Feminino dentro do Sistema Confea/Crea”.

Manifestações

Ao parabenizar a proposta, o conselheiro federal eng. eletric. Modesto dos Santos sugeriu que, quando for discutida a federalização do Plenário do Confea, inclua-se o debate sobre a criação de cotas que predefinam um número mínimo de conselheiras mulheres no Plenário. “Precisamos disso se quisermos cumprir a Agenda 2030, se quisermos colocar em prática o ODS 5”, afirmou, antes de destacar que o Crea-RN – Regional que presidiu entre 2012 e 2017 – já teve três presidentes mulheres, entre elas a que assume o presente mandato. “Com certeza o Rio Grande do Norte está na vanguarda de mulheres engenheiras em cargos de liderança”.

Ao lamentar a ausência de mulheres na composição do Plenário, o conselheiro federal eng. civ. Carlos Vilhena destacou a importância de o Programa não ficar limitado ao Cden, mas que tenha efetiva participação das entidades de classe regionais.

O conselheiro federal eng. agr. Annibal Margon, que estimula a participação das mulheres nas entidades e nos conselhos desde que começou sua atuação no sistema profissional, disse enxergar a criação do Programa como uma “grande evolução”. O conselheiro federal eng. eletric. Inarê Poeta também parabenizou a iniciativa e ressaltou a importância de o Confea participar dos eventos que discutem a Agenda 2030.

Presente à Plenária, o presidente do Crea-SE, eng. agr. Arício Resende Silva, destacou o trabalho do Agromulher, fórum de troca de informações sobre o agronegócio composto por engenheiras agrônomas, produtoras rurais e demais profissionais do setor. “O grupo tem mais de 20 mil interessados nas redes, entre homens e mulheres, e vem crescendo. É uma cadeia interessante que desperta interesse em nível nacional”, comentou.

Fonte: Beatriz Craveiro
Equipe de Comunicação do Confea
Fotos: Marck Castro/Confea

Colaboradores da Atta publicam Artigo Científico sobre Geoprocessamento e Lógica Difusa

Os engenheiros ambientais Émilin Casagrande de Souza e Fernando Basquiroto de Souza publicaram no Anuário do Instituto de Geociências – UFRJ o artigo intitulado “Modelagem de Conhecimento Locacional para Implantação de Estação de Tratamento de Esgoto: Estudo de Caso no Município de Criciúma (SC – Brasil)”.

O artigo contou ainda com a participação dos professores Gustavo Zambrano e Merisandra Garcia.

No artigo, foi explorado o uso de lógica difusa para selecionar, usando geoprocessamento, o local mais adequado para a instalação de uma estação de tratamento de esgoto no município de Criciúma (SC).

Você pode conferir o artigo clicando aqui.

Fonte: Instituto ATTA