Palestra: Arqueologia no Licenciamento Ambiental e Urbano (IPHAN)

A palestra sobre Arqueologia no Licenciamento Ambiental e urbano visa oportunizar aos Engenheiros Civis, Ambientais, Geógrafos, Agrônomos, acadêmicos, bem como servidores públicos municipais, estaduais e federais de órgãos de licenciamento ambiental e ordenamento territorial, os procedimentos quanto a Instrução Normativa n° 001/2015 do IPHAN que implicam no licenciamento ambiental dos setores industriais, elétricos, da construção civil e do parcelamento do solo urbano e rural.

A temática foi proposta pela Associação dos Geógrafos Brasileiros Região de Maringá – AGB/RM, que conta com a parceria da Associação Norte Paranaense dos Engenheiros Ambientais – ANPEA na organização e realização da palestra.

Os conteúdos serão apresentados por profissionais Geógrafo e Arqueólogo do setor de Arqueologia da URBEvital no dia 11/12/2019 das 9 às 12hs no auditório da Regional de Londrina do CREA-PR. Ainda, o evento conta com o apoio do CREA-PR, da MUTUA-PR, da Associação Paranaense dos Engenheiros Ambientais – APEAM , da Associação Profissional de Geógrafos do Estado do Paraná – APROGEO/PR.

Em tempos que mobilizar atores sociais para troca de experiências interpessoais e presenciais está cada vez mais complexo, parcerias como as da palestra de Arqueologia no Licenciamento Ambiental e urbano, trazendo um tema transversal e multidisciplinar, demonstra a necessidade em que o associativismo tem de se reinventar e trabalhar integrado em prol da formação e consolidação de seus profissionais.

A integração e troca de conhecimento e experiências entre as entidades e os profissionais das mais diversas áreas das Engenharias, Agronomia e Geociências fortalece cada vez mais o sistema CONFEA/CREA/MUTUA, conselho de suma importância para a garantia dos direitos dos profissionais e dos cidadãos.

O entrosamento das entidades é possível através de programas desenvolvidos pelos Colégios de Entidades Regionais – CDER de cada um dos CREA’s das unidades da federação, onde são discutidos modelos de sustentabilidade econômica e intercâmbio de experiências das entidades, além de agenda parlamentar.

O CREA-PR em conjunto com o CDER-PR trabalha forte na sustentabilidade das entidades através do seu Programa de Sustentabilidade das Entidades de Classe – ProEC e com o Prêmio CREA de Qualidade – PCQ, para o coordenador do Colégio de Entidades de Classe (CDER), geógrafo Danilo Giampietro Serrano.

“ as entidades de classe tem que mergulhar na inovação tecnológica, através de estruturas disruptivas, melhorando os processos, muitas vezes com ideias simples, o que estão totalmente relacionado com o trabalho e o dia a dia das entidades e de seus profissionais”

Colaboradores da Atta publicam Artigo Científico sobre Geoprocessamento e Lógica Difusa

Os engenheiros ambientais Émilin Casagrande de Souza e Fernando Basquiroto de Souza publicaram no Anuário do Instituto de Geociências – UFRJ o artigo intitulado “Modelagem de Conhecimento Locacional para Implantação de Estação de Tratamento de Esgoto: Estudo de Caso no Município de Criciúma (SC – Brasil)”.

O artigo contou ainda com a participação dos professores Gustavo Zambrano e Merisandra Garcia.

No artigo, foi explorado o uso de lógica difusa para selecionar, usando geoprocessamento, o local mais adequado para a instalação de uma estação de tratamento de esgoto no município de Criciúma (SC).

Você pode conferir o artigo clicando aqui.

Fonte: Instituto ATTA 

AEAMBS-PE PARTICIPA DE ENTREVISTA NA RÁDIO JORNAL

No último dia  26/07, o Eng.º Ambiental e Sanitarista Robson Ramos membro do Conselho de Diretores da AEAMBS-PE  participa de entrevista na Rádio Jornal 90.3 FM , Programa Consultório ,falando sobre as enchentes e tragédias ocorridas nas últimas semanas no Estado de Pernambuco. 

Em entrevista aos jornalistas Rhaldney Santos e Alexandra Torres da rádio Jornal 90.3FM , o Engº falou sobre a gravidade,  o que provoca as enchentes e o que pode ser feito para evitar estes transtornos. 

As enchentes ocorrem pelo grande volume de água em curto espaço de tempo agregado ao acúmulo de lixo nas galerias, isso ocorre pelo descarte incorreto de lixo que vai parar nas galerias fluviais, sem contar com a falta de drenagem em vários locais na região metropolitana. 


Na opinião de Robson de forma geral, a falta de educação de grande parte da população é um grande problema, o poder público (Governos e Prefeituras) precisam trabalhar essa educação em todos os níveis de escolaridade , como também, fazer um trabalho mais incisivo na limpeza de canais  de drenagem e esgoto. 

Temas nessa vertente serão discutidos no SBEA – Simpósio Brasileiro de Engenharia Ambiental e Sanitária que está sua 10º edição no Brasil e pela primeira vez no Nordeste de 08 a 11 de outubro no Centro de Convenções de Pernambuco.

Obras e os serviços no âmbito da Engenharia e da Agronomia são classificados como serviços técnicos especializados

Foi publicada no Diário Oficial da União a tão esperada Resolução nº 1.116 do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), que estabelece que as obras e os serviços no âmbito da Engenharia e da Agronomia são classificados como serviços técnicos especializados.

A Resolução considera que obras e serviços de Engenharia e de Agronomia, por serem objeto de soluções especificas e tecnicamente complexas não podem ser definidos a partir de especificações usuais de mercado. Essas obras e serviços, na medida em que exigem para habilitação a emissão de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), são considerados serviços técnicos especializados e não serviços comuns.

“A partir dessa Resolução fica evidenciado que serviços de Engenharia não se enquadram na abrangência legal das licitações através do Pregão”, comemora o vice-presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e presidente da Comissão de Infraestrutura (Coinfra) da entidade, Carlos Eduardo Lima Jorge.

O presidente do Confea, Joel Krüeger, destaca que a Resolução 1.116/2019, aprovada por unanimidade pelo Plenário do Conselho, era uma demanda dos profissionais vinculados ao Sistema Confea/Crea e Mútua para evitar uma grave distorção que vem sendo aplicada nas licitações públicas: a de conferir a obras e serviços de Engenharia, Agronomia e Geociências a categoria de serviço comum, permitindo que fossem licitadas pela modalidade Pregão.

“Não há como se falar em serviço comum de Engenharia. Se é de Engenharia, é um serviço especializado”, defende Krüeger.

Na avaliação da CBIC, a atuação do presidente do Confea, Joel Krüeger, que resultou na publicação da referida decisão, requisitada há anos pelo setor da construção, foi fundamental e fortalece a luta do setor em mostrar o prejuízo que esse erro causa à sociedade e não só à construção.

ACEAMB promove palestro sobre Impactos no Regime Hídrico Considerando Diferentes Cenários das Mudanças Climáticas

A Associação Catarinense de Engenharia Ambiental –  ACEAMB lhes convida para a Palestra “Impactos de Cenários de Mudanças Climáticas no Regime Hídrico de uma Bacia Hidrográfica – Caso Bacia do Rio Marombas.

A palestra ocorrerá no dia 25/04 na Inspetoria do Crea/ Criciúma das 19 as 22 horas e terá como palestrante o Engenheiro Ambiental Guilherme Ricardo da Empresa Sul Hidrológica.

 

Inscrevam-se no seguinte link: https://lnkd.in/dn4ZE4W

Palestra seguida de Janta para comemorar o Dia do Engenheiro Ambiental

Acontecerá no dia 31/01/2019, confraternização para comemorar o Dia do Engenheiro Ambiental. O evento será promovido pela ACEAMB, que convida todos engenheiros ambientais e comunidade para prestigiar esse dia.

Além disso, o evento também contará com a palestra da Liliane Fernandes (Chawork) sobre o tema “Perfil Comportamental” (Entenda como você pode se diferenciar da multidão conhecendo o seu Perfil Comportamental, e como isso pode potencializar seu resultado tanto na vida profissional como pessoal).

Liliane Fernandes é CEO e Co-Funder da Chawork, ferramenta inteligente de recrutamento e seleção, sócia da Adicione Consultoria em Gestão Estratégica, professora de Pós Graduação em Gestão Estratégica de Pessoas e Gestão de Negócio, palestrante Corporativa nas áreas de Humanas e Empreendedorismo Feminino, mentora Estratégica de Carreira e Analista Comportamental. Especialista em Gestão de Pessoas e Recursos Humanos, Especialista em Gestão Financeira e Controladoria, Graduada em Administração e Marketing.

O evento começará às 19:00 no CREA-SC de Criciúma (SC). Você pode fazer sua inscrição clicando aqui.

ACEAMB promove o Empre.Eng (Empreendedorismos para engenheiros)

A Associação Catarinense de Engenharia Ambiental – ACEAMB está promovendo nos dias 15 e 16/02 no Cantinho da Massa em Criciúma/SC ocorrerá o Empre.Eng (Empreendedorismo para Engenheiros).

O EMPRE.ENG é um evento que visa promover a participação dos profissionais em atividades de imersão dentro da temática de empreendedorismo e engenharia.

No evento o profissional aprenderá técnicas, metodologias e treinamentos práticos (com mentores) visando proporcionar a qualificação e aprimoramento dos profissionais na gestão de negócios, bem como, fomentar iniciativas ao empreendedorismo aos profissionais do Sistema Confea/Crea.

O evento conta com a mentoria de:

  • Leandro Benincá;
  • Gélio Júnior;
  • Jhony Pereira;
  • Marcos do Canto; e
  • Valmor Rabelo.

Vale salientar que os mentores são empreendedores de sucesso e que não tiveram medo de arriscar e por sua ideia em prática (Acompanhe a programação do evento clicando aqui).

Por isso não deixe de participar você também!

Inscreva-se aqui.

Janeiro, mês do Engenheiro Ambiental – Entrevista com a presidente da Associação dos Engenheiros Ambientais de MT

No dia 31 de Janeiro celebra-se nacionalmente o Dia do Engenheiro Ambiental. Uma data de comemoração para os que escolheram esta profissão onde só permanece e prospera quem realmente tem uma visão holística sobre as questões ambientais que o rodeiam.

É o que afirma a presidente da Associação dos Engenheiros Ambientais de Mato Grosso (AEAM-MT), Kamila Barros, que em entrevista à Equipe de comunicação do Crea-MT falou da Associação e das características que diferenciam o profissional de Engenharia Ambiental em relação aos outros.

 

 1) Qual é a principal diferença do Engenheiro ambiental para os demais profissionais da área tecnológica?

Kamila Barros – Podemos dizer que é um profissional singular e que se destaca pela sua visão holística. E, o planejamento é fortemente determinado pela visão com a qual é concebido. Os Engenheiros Ambientais podem ser muito bem aproveitados pela sociedade por essa característica. Por exemplo, na atual crise hídrica que estamos vivendo, sabemos que a maior parte dos problemas relacionados aos recursos hídricos, tem como causas principais a sua má utilização e, destacadamente, a falta de planejamento. O Engenheiro Ambiental entende com clareza que os recursos naturais estão interligados e são dependentes. Ou seja, quando o curso de um rio é alterado para levar esgotos para longe de uma determinada área, acaba por poluir outra. Da mesma forma, a impermeabilização do solo em uma região provoca o escoamento de águas para outra, que passa a sofrer com enchentes. É notável entender que o desmatamento é um fator de peso na crise hídrica, e que as áreas ribeirinhas precisam ser recuperadas e preservadas para que se tenha disponibilidade dos recursos hídricos. Com certeza, teríamos um cenário diferente se nos órgãos públicos na sua maioria contassem com um Engenheiro Ambiental atuante, que participasse das ações de planejamento e execução de atividades voltadas ao ambiente. Não posso afirmar que todos os problemas relacionados à crise hídrica seriam resolvidos por Engenheiros Ambientais, mas a diversidade de ações que desencadeiam efeitos adversos ao ambiente tem demonstrado a necessidade de profissionais capacitados tecnicamente e que entendam a relação entre meio ambiente, desenvolvimento e sociedade.

2) A Engenharia Ambiental é relativamente nova no mercado de trabalho brasileiro e também, dentre as demais engenharias, a que mais tem potencial de crescimento. O que você acha que está faltando para que este fato seja concretizado?

Kamila Barros – Acredito que a engenharia ambiental já está consolidada no mercado de trabalho, mesmo que ainda haja um enorme potencial para crescimento. Costumo dizer que não somos muitos mas estamos nos popularizando. Indubitável é que o espaço do engenheiro ambiental no mercado de trabalho tem crescido nos últimos anos, com destaque na área de saneamento básico. O engenheiro ambiental tem atuado significativamente e com muita competência no abastecimento de água, no esgotamento sanitário, na limpeza urbana e manejo dos resíduos sólidos urbanos e industriais. Como resultado, vagas têm sido abertas não apenas no setor privado, mas também no público, embora o mercado esteja extremamente seletivo. De forma semelhante, temos tido oportunidades no setor privado, isto é, na indústria, em construtoras, em empresas de consultoria e gerenciamento ambiental, em escritórios de engenharia, na área acadêmica etc.

3) Na sua opinião, qual a importância da Entidade de Classe para o fortalecimento da categoria?

Kamila Barros – Um dos fatores para o fortalecimento da categoria hoje é de registrar nossa entidade de Classe junto ao Crea-MT. É bem verdade que não é fácil iniciar o processo de reconhecimento de qualquer ”nova” profissão, sobretudo obter um prestígio em seu conselho de classe. Diante desse quadro, a AEAM-MT, que foi fundada em meados de 2012 e 2013 e veio oriunda de estudantes que estavam entrando no mercado e sentiram a necessidade de representatividade no estado, têm atuado nos últimos três anos intensamente em favor do engenheiro ambiental junto à sociedade mato-grossense principalmente em ações voltadas para inserção do profissional em vagas no setor público e privado,  com destaque para eventos que comemoram a data do dia 31 de janeiro e também ações sociais para unir e capacitar a categoria. A entidade de Classe é a imagem e a representação de todos os engenheiros ambientais no Estado de Mato Grosso. Por isso, devemos nos unir a ela para que possamos buscar cada vez mais integração e fortalecimento da categoria.

4) Este ano a AEAM-MT irá realizar algum evento para o dia do Engenheiro Ambiental?

Kamila Barros – Sim. Dias 30 e 31 de janeiro comemoraremos o dia do Engenheiro Ambiental na Semana da Engenharia Ambiental, que está na sua segunda edição e ocorre na capital de Mato Grosso, na cidade de Cuiabá. O intuito deste evento é capacitar profissionais e estudantes para atender as necessidades do mercado de trabalho. Por meio de debates, mini-cursos e palestras com especialistas em assuntos inerentes ao mercado de trabalho do Engenheiro Ambiental e profissional da área ambiental, espera-se a troca de conhecimentos e a capacitação de profissionais da engenharia e estudantes. Além de propor a integração entre profissionais e estudantes, a fim de estimular a troca de experiências e a construção de uma rede de relacionamentos. Mais informações, acessar https://www.facebook.com/aeammt ou pelo nosso site https://contatoaeammt.wixsite.com/aeammt

5) Para finalizar, qual recado você gostaria de deixar aos futuros Engenheiros Ambientais?

Kamila Barros – Em primeiro lugar, priorizem na vida profissional e pessoal os princípios éticos e os valores morais. Não esqueçam que o engenheiro ambiental trabalha com equipes multidisciplinares e, sob esta perspectiva, além da sua aptidão e competência na engenharia, busquem conhecimento em outras áreas como gestão de negócios, marketing, vendas, relações interpessoais e principalmente estar sempre atualizado com a legislação ambiental estadual e federal. Por fim, aos que desejam se especializar em uma área específica, existe uma escassez no mercado de trabalho por profissionais consultores ambientais. Sem dúvidas, é uma oportunidade para ser diferenciado no mercado.

Fonte: Equipe de Comunicação do Crea-MT

Conexão Engenharia: Etapa 4

A Associação Catarinense Catarinense de Engenharia Ambiente – ACEAMB está promovendo um ciclo de palestras chamado “Conexão Engenharia” a ideia do evento é promover o networking e troca de experiências entre os diferentes ramos da engenharia.

Conexão Engenharia conta com 4 (quatro) palestras com os mais variados temas e profissionais. As palestras são:

  • Licenciamento Ambiental e Aspectos Jurídicos do Licenciamento Ambiental (18/10/2018);
  • Geotecnia: Conceitos, Práticas e Fundamentos (07/11/2018);
  • Processos e Legislações Ambientais na Mineração (05/12/2018); e
  • Metodologias de Amostragem Atmosférica (28/02/2019).

A segunda Palestra é referente ao “Metodologias de Amostragem Atmosférica . Essa palestra ocorrerá no dia 28/02/2019 no Auditório do CREA-Criciúma das 19 as 22 horas e contará com a participação do Engenheiro Químico Eduardo de Oliveira Nosse.

Leu, gosto, se interessou?

Faça sua inscrição clicando neste link: http://e-li.me/etapa4