Engenharias serão estratégicas em ações da ONU sobre sustentabilidade e inclusão

Engenharias serão estratégicas em ações da ONU sobre sustentabilidade e inclusão

Uma série de entendimentos globais com o objetivo de melhorar a qualidade de vida, proteger recursos naturais, gerar emprego e renda, além de começar a reverter os efeitos do aquecimento do planeta estão envolvendo os setores das engenharias.

O presidente do Confea, engenheiro civil Joel Krüger| Foto: Divulgação Confea/Crea.

Como são profissões que têm atuação estratégica no desenvolvimento dos países, as engenharias estão sendo encaradas como peças-chave para conquistar os resultados planejados.

A Organização das Nações Unidas (ONU) é a grande incentivadora das ações, nas quais as engenharias estão sendo chamadas a participar em projetos como a Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs).

A agenda tem a finalidade de garantir um crescimento sustentável nas próximas décadas. Já os ODSs são compostos por 17 objetivos que miram na redução das desigualdades, defesa do meio ambiente, igualdade, uso racional dos recursos naturais e propagação da paz.

No Brasil, organizações da sociedade civil já estão se mobilizando para colocar em prática as pautas defendidas pelos ODSs. Uma delas é o Confea (Conselho Federal de Engenharia e Agronomia).

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Trabalho em Execução

Por meio de parcerias e acordos firmados, o Sistema Confea/Crea (Conselhos Regionais de Engenharia e Agronomia) constituiu grupos de trabalho e comissões temáticas para debater e encaminhar ações sobre todos os 17 ODSs, em especial os que envolvem temas como Fome Zero e Agricultura Sustentável, Igualdade de Gênero, Água Potável e Saneamento, Energia Limpa e Acessível, Indústria, Inovação e Infraestrutura, Redução das Desigualdades, Cidades e Comunidades Sustentáveis e Consumo e Produção Sustentáveis.

O presidente do Confea, engenheiro civil Joel Krüger, afirma que levar à prática os objetivos contidos na Agenda 2030 da ONU trará retorno e novas possibilidades de atuação a todas as categorias de engenheiros. “Os profissionais têm a oportunidade de se dedicar à investigação de soluções inovadoras e à criação de projetos para diversos setores”, disse.

Está em análise uma minuta de Memorando de Entendimento a ser firmado com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). A finalidade é oficializar a cooperação para trabalhar as metas da Agenda 2030 e os ODSs. Para Krüger, “esse acordo permitirá ao Confea uma produção inédita de conhecimento sobre desenvolvimento sustentável, como a promoção de qualificação do trabalho de fiscalização nas áreas da Engenharia e Agronomia associadas ao desenvolvimento da saúde pública, saneamento e gestões ambientais e de planejamento estratégico.

“A expectativa em relação ao documento que será assinado é de que as instituições troquem informações sobre conhecimento técnico a respeito das respectivas áreas de atuação. Outra linha de ação prevista é a de divulgar práticas associadas aos mandatos de ambas as organizações, tendo como meta o desenvolvimento humano sustentável, erradicação da pobreza, defesa do crescimento econômico e social inclusivos e sustentabilidade ambiental.

O entendimento também vai abranger a criação de atividades conjuntas, nos âmbitos nacional e estadual, para capacitar e acompanhar a implementação da Agenda 2030 e dos ODSs.

Pelo documento que será assinado, as instituições deverão compartilhar conhecimento técnico sobre as respectivas áreas de atuação; divulgar práticas que estejam alinhadas aos mandatos de ambas organizações, com foco no desenvolvimento humano sustentável e na erradicação da pobreza, no crescimento econômico e social inclusivos e na sustentabilidade ambienta, de forma integrada. A expectativa é de que o acordo seja firmado ainda este ano.

Ações em andamento

Em paralelo aos entendimentos que estão sendo realizados, o Sistema Confea/Crea já vem adotando iniciativas inspiradas nos ODSs e na Agenda 2030.

Os ODSs, por exemplo, foram tema de debate durante o 10º Encontro do Conselho de Associações Profissionais de Engenheiros Civis dos Países de Língua Portuguesa e Castelhana. Realizado em março deste ano no Rio de Janeiro, o encontro debateu novas ações, por meio das engenharias, para solucionar desafios nas questões sanitárias através de soluções inovadoras, resgatando a qualidade de vida de bilhões de pessoas no mundo. Representantes do Confea também levaram a discussão da Agenda 2030 para ser debatida em audiência pública na Câmara dos Deputados. O “Painel Agenda 2030” também foi apresentado durante a 76ª. Semana Oficial de Engenharia e Agronomia (Soea), realizado em setembro. No painel, foram discutidas formas de pensar cidades resilientes, comunidades sustentáveis e os reflexos da regularização fundiário no desenvolvimento sustentável das cidades.

Fonte: Texto publicado em Gazeta do Povo.

emilin